Terça-feira, 5 de Julho de 2005
La nuit


Não me interpretem mal. O facto é que a moça caiu do céu.
Era daquelas mulheres que não suscitava indiferença. Não era capa de revista. Era apenas portadora daquela terrível volta na ponta que, para os homens, se torna difícil de definir.
Não sei já bem quando a conheci. Creio que terá sido na rua, tropecei nela quando a minha companhia se deteve para a cumprimentar.
Eram então colegas. A conversa foi por aí, teses, aulas, pedras na engrenagem. O mais possível longe da possibilidade de eu dizer o que quer que fosse. O que me deu tempo para lhe apreciar os gestos, a desenvoltura.
Julgo que no encontro seguinte, igualmente fortuito, lhe oferecemos boleia até Lisboa.
Dizem que os taxistas são bons confessores porque se encontram de costas para quem com eles desabafa. Não sei se foi o caso.
Mas ela perguntou-me, lá do banco de trás, se eu já não fazia noitadas.
Explicou-se depois.
Que, durante anos, ela e eu partilhámos a noite. Ela sabendo que a partilhava com alguém. Eu de nada sabendo.
Via da janela dela, em outro ponto da vila, a luz da minha. Imaginava quem seria a pessoa que teimava em atravessar a noite, acompanhando-a. Eu, pela localização da janela dela, não me apercebia da luz. Era num ângulo para o qual nunca olhava.
Aliás, a janela pela qual observava o mundo, era do lado oposto do prédio. Dali distinguia milhares de luzes, aviões pairando, carros a circular, comboios tardios, sem que me fixasse num ponto em especial.
Mas era do outro lado que era observado. Sem disso dar conta. Eu não. A luz que mantinha acesa.
Nunca lhe perguntei como ela ligara o nome à pessoa, digo à luz na janela.



por MCV às 23:34
endereço

3 comentários:
De Anónimo a 7 de Julho de 2005 às 06:51
Meus caros: Nem sei que vos diga. Não me promovam o auto-convencimento senão vão ter que aturar um tipo armado aos cucos...
Um abraço a ambos e obrigado pelas palavras
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 7 de Julho de 2005 às 03:30
Muitíssimo bom! Merecia melhor êxito que certa li[gh]teratura. Cumpts.Bic Laranja
(http:\\biclaranja.blogs.sapo.pt)
(mailto:biclaranja@sapo.pt)


De Anónimo a 6 de Julho de 2005 às 18:24
Muito bom e interessante o seu texto! Abrs.Ordisi Raluz
(http://ordisiraluz.zip.net)
(mailto:ordisi@uol.com.br)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Portugal, 2016

Mourão, 2017

Albufeira de A...

Restos de colecção (82...

Fátima e o resto

Portugal, 2009

Rio Mira, 1988...

Alvor, 1989

São Salvador do Mundo,...

Janas, 2006

. Arquivos
. Links