Quarta-feira, 29 de Junho de 2005
Restos de colecção (36)
Este objecto nunca foi meu.
Mas é meu há muitos anos.
Herdei-o algures do fundo de qualquer gaveta ou adido a outros que me vieram parar às mãos.
Não era o principal do lote, era adjunto - como diria a senhora que enumerava ruas adjuntas que não eram principais, ao ser interpelada por direcções, por sentidos.
Mas eu sei que é meu, sinto que é meu, porque há muito me aparece, surgido debaixo de alguma pilha de papéis a reclamar-se meu vassalo.
Nunca o usei como horário, jamais como régua, sequer como grelha. Semanas de seis dias. Recordações do tempo em que se falava da semana inglesa. E da americana.
E ele aqui, chegou ao século XXI sem ser jogado para o lixo.
Nunca foi meu. Seria de algum familiar que o desprezou.
Hoje ganha protagonismo, um lugar na História. Sai em todos os jornais.



por MCV às 22:53
endereço

2 comentários:
De Anónimo a 5 de Julho de 2005 às 20:32
Perdoe a ignorância. Que objecto é? Cumpts.Bic Laranja
(http:\\biclaranja.blogs.sapo.pt)
(mailto:biclaranja@sapo.pt)


De Anónimo a 5 de Julho de 2005 às 20:32
Perdoe a ignoraância. Que objecto é?Bic Laranja
(http:\\biclaranja.blogs.sapo.pt)
(mailto:biclaranja@sapo.pt)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Vila Nova, 201...

Cascais, 2017

Portugal, toponímia, 2...

Portugal, 2007

Ramal de Cáceres, 2011...

...

E.E.N.N. 263/389, 2007...

Belver, 2014

Lisboa, 2008

Aveiro, 2013

. Arquivos
. Links