Quinta-feira, 9 de Junho de 2005
Foguetes
A última vez que vi foguetes serem lançados com a sua inicial razão de ser, já lá vão uns bons doze anos.
Em plena via Infante de Sagres, um indivíduo assinalava um acidente de automóvel com recurso a esse método ancestral. Suponho que o não fizesse em vão. Suponho que seria uma combinação de emergência com alguém ali nas imediações, na falta de telefone. Ele aparentemente surgira de uma casota ali perto não me recordo se numa pedreira se noutra instalação qualquer.
Há dias que venho a ser massacrado por esta deslocada forma de anúncio festivo.
Isto em meio urbano faz cada vez menos sentido chamar os romeiros de tal sorte.
Também sei que os foguetes sofreram uma evolução semântica. Já não sinais sonoros e de fumo, apelando à concentração. São acessórios de fogo de artifício. Foguetes e morteiros. Estes últimos então profusamente utilizados. Bombardeamentos matinais e nocturnos.
It's a nice day (for bombing) - como parecia dizer um apresentador da meteorologia num canal internacional, sorrindo face à ausência de nuvens sobre a Sérvia, no tempo em que dois dos nossos aviões sobrevoavam o Adriático, ficando assim à porta da horta, seis anos atrás. Sim, estávamos em guerra na televisão.
It's a nice day for fireworks!


por MCV às 05:07
endereço

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Albufeira de A...

Restos de colecção (82...

Fátima e o resto

Portugal, 2009

Rio Mira, 1988...

Alvor, 1989

São Salvador do Mundo,...

Janas, 2006

Portugal, 2008

Serra de Grând...

. Arquivos
. Links