Sábado, 14 de Maio de 2005
Faço o que posso


Será que o dragoeiro de Almada sobreviveu ao transplante?


por MCV às 20:12
endereço

4 comentários:
De Anónimo a 21 de Maio de 2005 às 11:31
Pois é. Rolhas não faltam. A lei das ditas. AbraçoManuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Maio de 2005 às 21:09
Ele há por aí algumas rolhas!...Bic Laranja
(http://www.olhares.com/biclaranja)
(mailto:biclaranja@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2005 às 05:53
Aproveitar o que os outros não querem. Também sombra e cocharros, claro. Abraço
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Maio de 2005 às 03:02
Queres sombra ou o quê.Santos Passos
(http://santospassos.blogspot.com)
(mailto:santos.passos@uol.com.br)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Portugal, 2016

Mourão, 2017

Albufeira de A...

Restos de colecção (82...

Fátima e o resto

Portugal, 2009

Rio Mira, 1988...

Alvor, 1989

São Salvador do Mundo,...

Janas, 2006

. Arquivos
. Links