Sexta-feira, 4 de Fevereiro de 2005
Elogios repetidos
Ao fotógrafo inumano que assim assesta as lentes, minuto após minuto, hora após hora.
Mesmo que alguém cuide do enquadramento, o fotógrafo não existe. É uma ficção, que nos dá imagem destas:



Não me canso de os fazer desde que comecei este blogue, há ano e meio. Há muito mais tempo que lá vou espreitar as fotografias.


por MCV às 21:04
endereço

2 comentários:
De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2005 às 13:17
Anda fugida pelas terras da Lapónia?
Virou Mãe Natal?
Beijo
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2005 às 12:45
Olá. Ói eu por aqui. eu tb sempre me admiro com essas imagens. Têm algo de surreal. Lilian
(http://www.lili-carabina.blogger.com.br/)
(mailto:a@a.com)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

H Gasolim Ultramarino<...

Isto de carnav...

Nem Sines nem Loulé

Olho de Boi, 2...

Lisboa, 2012

Mourão, 2013

A cadela que pariu qua...

Lisboa, 2010

Sines, 2011

Estação C.F. de Queluz...

. Arquivos
. Links