Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2005
Exclusão social
Herdei dos meus antepassados esta aversão às compras a prestações.
Ou talvez não fosse aversão, fosse impossibilidade.
Jamais possuí aquela porra em plástico que dá acesso à ilusão dos cofres cheios.
Vivi sempre com o dinheiro que tenho em cada dia e nunca com o ovo no cú(?) da galinha.
Um destes dias, pediram-me o cartão de crédito.
Como a minha resposta fosse negativa, seguiu-se uma inspecção visual.
Um mero cartão de débito é para desconfiar...


por MCV às 09:18
endereço

4 comentários:
De Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 13:20
Ok, mas alguns de nós não têm receitas mensais.
A coisa funciona na base anual ou até mais espaçada.
Quanto ao estrangeiro, nas minhas escassas deambulações, o cartão de débito tem sido suficiente.
O meu ponto não é contra os cartões de crédito.
Muito menos contra quem os tem.
É, sim, contra a discriminação de que me dou conta contra quem não o tem.
Um abraço
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 12:53
Quem paga o cartão de crédito a 100% todos os meses faz uma gestão inteligente do seu dinheiro. Dilata prazos de pagamento (entre 20 e 50 dias) e não paga juros.
Por outro lado, o cartão é prático, aceite no mundo inteiro (logo não temos que andar carregados de notas) e ainda nos tira de sufocos quando, devido à tal imprevisibilidade das receitas, nos vemos mesmo à rasca...
É tudo uma questão de rigor e controlo na sua utilização:)bekx
(http://www.ejetamos.blogspot.com)
(mailto:ejetamos@netcabo.pt)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 11:22
Eh eh. Bela resposta. Mas isto prende-se mais com a imprevisibilidade das receitas. A lei dos campos. Um abraço.
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 28 de Janeiro de 2005 às 01:05
Isso é o que chamo, Manoel, de "espírito português". Comprar às prestações é desonra. Ouvi muito isso na infância (sempre de lusos, é claro). Ora, vives na terra do crédito barato. Aproveita, homem! Se vieres cá ao Brasil, vais pagar 10 a 12% ao mês sobre o que ficares a dever no tal cartão de crédito. Aí sim, mais vale a pena pagar à vista.
Que seja. Faze o que quiseres, homem.
Abração do SP.Santos Passos
(http://santospassos.blogspot.com)
(mailto:santos.passos@uol.com.br)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Póvoa de Varzim, ...

Portugal, 2008

Um caso clássi...

Memorandum

Portugal, 2006

Vila Franca de Xira, 2...

Portagem, 2011

Foz Tua, 2016

Portugal, 2017

E.N. 246-1, 2011

. Arquivos
. Links