Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2005
Benditos
Bendito o homem que inventou as descidas*. Não, não é isso.
Benditos os homens que inventaram o suporte magnético e outros.
Avalio agora, depois de ter transportado às costas aí um terço da minha colecção de fotografias, avalio agora a totalidade aí nuns 100 kg de papel. Não é muito.
Façamos umas contas.
Partamos do princípio que o valor médio de 240g/m2 é aceitável para o papel fotográfico.
E que os 100 kg não é exagero.
Ficamos com pouco menos do que 417 m2 de papel.
Suponhamos que as dimensões médias de cada fotografia são 10x15. Dá uma área média de 0,015 m2.
É fazer a conta.
Dá qualquer coisa como 27800 pedacinhos de papel.
Supondo que se trata de rolos de 36 (não se trata, porque no formato 6 x 9 que utilizei durante anos a fio, cada rolo 120 só dava 8 negativos), dá 772 rolos e mais uns picos.
Arre macho.
Macho que carregou com eles às costas umas boas centenas de metros.
Ah, e sim, há a tendência deste blogue começar a ser mais imagens e menos texto. Será verdade?

*frase célebre ouvida de um desconhecido, num regresso de festa nas serranias de Arganil. Rali, pois. E postada em certo blogue, sem autorização do autor, mas com autorização do mediador.


por MCV às 16:12
endereço

2 comentários:
De Anónimo a 18 de Janeiro de 2005 às 06:29
Abraço, amigo.
Obrigado pela força.Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 18 de Janeiro de 2005 às 02:09
Manuel, com textos ou imagens continuarei a visitar teu blog! Abraços.Nuedos
(http://apeh.blogs.sapo.pt/)
(mailto:gatocult@uol.com.br)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Portugal, 2008

Um caso clássi...

Memorandum

Portugal, 2006

Vila Franca de Xira, 2...

Portagem, 2011

Foz Tua, 2016

Portugal, 2017

E.N. 246-1, 2011

Apúlia, 2017

. Arquivos
. Links