Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2004
Bruxelas


Os défices das contas portuguesas, seja ele o das contas públicas, seja ele o externo - no tempo em que isso era um problema - têm uma história semelhante ao do buraco do ozono.
Não falo das curvas que não faço a menor ideia quais são. É mais da atenção que merecem. E do não se saber muito bem desde quando é que lá estão. E só virem à baila em certas épocas do ano, e ser o Valha-me Deus.
Toda a gente fala, muitos suspeitam das causas a que se devem uns e outro, mas parece que não se olha para o conjunto de forma a pôr cobro à coisa. Se é que é possível fazê-lo.

A imagem de cima é a curva das concentrações de ozono estratosférico medidas na Antártida, obtida aqui.
A de baixo, dos tendeiros, é de Bruxelas. Fotografia de Maurice Blanc.



por MCV às 19:32
endereço

2 comentários:
De Anónimo a 24 de Dezembro de 2004 às 02:02
Passei para desejar-te um Feliz natal com muita saúde paz e prendinhas. bjsMaria Papoila
(http://panquecas2.blogspot.com)
(mailto:mariapapoila36@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Dezembro de 2004 às 01:35
Um Santo Natal para ti e os teus, são os desejos do Vizinho!
:-)o Vizinho
(http://www.vizinho.blogspot.com)
(mailto:o_vizinho@clix.pt)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

H Gasolim Ultramarino<...

Isto de carnav...

Nem Sines nem Loulé

Olho de Boi, 2...

Lisboa, 2012

Mourão, 2013

A cadela que pariu qua...

Lisboa, 2010

Sines, 2011

Estação C.F. de Queluz...

. Arquivos
. Links