Terça-feira, 2 de Novembro de 2004
Burros e elefantes


Há quatro anos, depois de uma longa jornada no lombo do meu fiel companheiro de lata, desaguei num quarto de hotel de província, após me bater com um naco de carne daqueles que a gente sabe. O tinto também se recomendava.
Entre as nove e as dez, que é como quem diz com um olho no burro e outro no elefante, lá ouvia o que os repórteres e comentadores tinham a dizer sobre a disputa nos States.
E, na paz de quem tinha o dia ganho, alheio aos palpites e às considerações em fundo azul e vermelho, foi imaginando a neblina fria que pairava no exterior e gozando o calor das mantas que me deixei embalar.
Acordei como adormecera. Com as mesmas caras no écran, o que me levou a suspeitar que era insónia. Não era. O dia despontava e os homens lá diziam que a coisa estava má para se decidir.
Não costumo dar aqui muitos palpites sobre política.
Até porque considero que, quando se trata da coisa pública, o melhor é intervir. E intervir, agindo. Não ficar de fauteuil a debitar críticas e loas a este e àquele.
Neste caso, porém, é totalmente inútil dizer ou agir.
Vejo a coisa como um fait divers, embora saiba que ela me pode afectar.
De qualquer forma, não me parece que Bush seja tão mau como o fazem, nem Kerry tão bom como o querem.
Depois, está por provar que seja um homem só a ditar o que quer que seja. Há as companhias, sim. As más e as boas, seja lá o que fôr o que isso signifique.
Mas há as outras, as que governam sempre a América, faça chuva ou faça vento. E essas, como sabemos, não estão sujeitas a sufrágio.
O que fôr, soará. E não me tira o sono.
Lá que gostava de estar amanhã à noite no mesmo quarto de hotel, ah isso gostava.
Não vai ser possível.
Mas já falta pouco para me fazer à estrada.


imagens em http://www.wordiq.com/definition/United_States_Democratic_Party e http://www.wordiq.com/definition/United_States_Republican_Party


por MCV às 02:48
endereço

3 comentários:
De Anónimo a 4 de Novembro de 2004 às 06:12
E na mesma ficamos... Nunca se saberá o que mudaria, se o outro tivesse ganho.
Abraço aos dois
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 2 de Novembro de 2004 às 10:53
Que engraçado. Eu penso exactamente a mesma coisa. Chego a perguntar-me se não será melhor manter o Bush que o Kerry. Daquelas coisas, com este já sabemos com o que contamos... Como duas figurinhas conseguem obrigar o mundo a suster a respiração. É assustador.
Abraço
G.
GatodeLisboa
</a>
(mailto:gatodelx@hotmail.com)


De Anónimo a 2 de Novembro de 2004 às 06:17
Beleza de texto. Quanto ao conteúdo, compartilho integralmente.Santos Passos
(http://santospassos.blogspot.com)
(mailto:santos.passos@uol.com.br)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Memória telúrica

Portugal, 2013...

Vila Nova de Milfontes...

E.N. 268, 1988

Lisboa, 2007

Tudo a zeros

E.N. 3-13, 2013

Sintra, 2012

E.N. 10, 2007

E.N. 250, viaduto da A...

. Arquivos
. Links