Quinta-feira, 28 de Outubro de 2004
Cores
Estou assim. Com pouca cor.
Embrenhado em escritas outras.
Chove-me nas árvores e nos pastos e nos montes destelhados.
Pouca destreza.
Uma surpresa desagradável. Dei-me conta de que, por raramente escrever à mão nestes últimos tempos, sequer desenhar, a minha caligrafia envelheceu.
E apressou-se, uma sucessão de gatafunhos a correrem desalmados. Para quê? Que pressa é essa?
Deixo-vos com esta foto. Que não tem tratamento algum. Nada de truques. Tudo cinzento. Ou talvez não.



por MCV às 13:50
endereço

2 comentários:
De Anónimo a 29 de Outubro de 2004 às 06:44
Isso era violência a mais, ah ah. Um abraço, amigo.
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 28 de Outubro de 2004 às 22:30
Que tal um suco de tomate na parede?Rafael Reinehr
(http://escreverporescrever.blogspot.com)
(mailto:superjazz7@terra.com.br)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Olho de Boi, 2...

Lisboa, 2012

Mourão, 2013

A cadela que pariu qua...

Lisboa, 2010

Sines, 2011

Estação C.F. de Queluz...

Lisboa, 2008

Sem (saber) le...

Porto Brandão, 2009

. Arquivos
. Links