Quarta-feira, 20 de Outubro de 2004
Barómetro
Não faço ideia de quem primeiro aplicou a palavra barómetro à publicação de sondagens.
Ilibo desta os jornalistas.
Há-de ter havido uma boa razão para escolher barómetro em vez de termómetro, higrómetro, udómetro ou outro metro qualquer, incluindo o do Porto.
Mas se foi esse o termo escolhido, na certa que o conceito de pressão há-de ter tido o seu peso, a sua ponderaçãozinha na escolha.
Terá mesmo o lóbi das pressões feito a dita para que esta consagração se fizesse? Não sei.
O que sei é que algo não bate certo.
Sondagens à parte, diz-se tanta vez que as pressões aumentam, daqui e dali, e eu, na esperança de que o anticiclone dos Açores me proporcione finalmente uns belos dias de sol outonais, apenas vejo nuvens e apenas leio valores baixos nos mapas do IM.
Aumentem lá as pressões, caramba.


por MCV às 20:27
endereço

1 comentário:
De Anónimo a 21 de Outubro de 2004 às 00:07
Vou seguindo diariamente o teu trajecto, Manuel.
Temo que as pressões tenham vindo para ficar.
É arrepiante pensar nisso. Mas parece-me que a ditadura está de volta.
AbraçosLetrasAoAcaso
(http://LetrasAoAcaso.weblog.com.pt)
(mailto:LetrasAoAcaso@hotmail.com)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Amora, 2012

Porto, 2007

Portugal, 2004

Politicamente correcto...

Melides, 2013

Penha Garcia, 2013

Espanha, 2010

Alvor, 1989

Para depois

Da moda

. Arquivos
. Links