Segunda-feira, 11 de Outubro de 2004
Exemplo (de uma indiscrição)
Parece que é, afinal, o que nos trouxe aqui.
Descontando o facto de o mundo ter dado saltos de cada vez que alguém se lembra de inventar qualquer coisa mais estranha, mesmo sem seguir as pegadas de outrem.
Mas o exemplo, que eu não sei se vale mais do que mil palavras, o exemplo contemplado de baixo para cima, junto às saias da mãe ou às calças do pai, decerto nos proveu de competências para voar, mais alto ou mais rasteiro.
Z. era um excessivo. Em tudo. Nas palavras, nos gestos, nas atitudes, na amizade.
Convocava-nos por carta registada para comparecermos na estação, já alta a noite, para o recebermos no seu regresso triunfante de terras minhotas. Acrescentava em post scriptum que, provavelmente, se casaria com o novo amor.
Soube-se uns dias depois que as vizinhas quase chamaram a polícia, depois de o terem visto nu na varanda, quando ele pensava que às quatro da manhã, estava tudo a dormir.
Soube-se também que o vizinho de cima se pusera, contra a vontade da esposa, de ouvido à escuta, encostado aos tacos da sala, gargalhando com as nossas invenções.
Soube-se isto, sem que se soubesse se era assim ou se não era, quando uma brigada de boa vontade se dispôs a limpar a casa ao homem.
Já refeitos da esbórnia, uns dias depois, enquanto esperávamos que ele desencantasse mais uma garrafa de verde para acompanhar com umas conservas, vimo-lo chegar, de olho brilhante e desabafar:
"O meu pai também não é nenhum santo!"
Esta afirmação, para nós que conhecíamos o pai dele desde os bancos da escola, caiu assim um bocado como uma desculpa esfarrapada e pouco consistente.
Foi então que ele revelou a descoberta que fizera.
E lá estava, elegantemente trajado e acompanhado de uns amigos, em plena confraternização.
Nada na foto punha em causa a idoneidade do senhor.
Nada, não.
Havia o pormenor da sardinha a mostrar-se no bolso do lenço.



imagem construída a partir daqui e daqui


por MCV às 12:00
endereço

3 comentários:
De Anónimo a 12 de Outubro de 2004 às 12:41
Obrigado a ambos pelas palavras.
Amigo Passos: o que é que aconteceu ao seu blogue?
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Outubro de 2004 às 21:54
Olá,

Não te conheço, teu blog é muito bom, e obrigado pelo link. É meu primeiro link d'além-mar.aterro
(http://aterro.blogspot.com)
(mailto:aterro_sac@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Outubro de 2004 às 15:18
Bom. Muito bom.Santos Passos
(http://www.mblog.com/santos_passos)
(mailto:santos.passos@uol.com.br)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Mourão, 2013

Perguntas que não pode...

Perguntas que não podem f...

J.R.

E.N. 236-1, km 0

Picos de irracionalida...

Picos de irracionalidade

E.N. 236-1

Beja, 2011

Azenhas do Mar, 2008

. Arquivos
. Links