Quarta-feira, 22 de Setembro de 2004
O problema
Não é assim tão grave não entrar à primeira com o binómio de Newton, embora não seja bom presságio.
Grave é acordar um dia atrás do outro sem o perceber.

O meu nível de exigência baixa, a azia volta e, chegados ao equinócio, é certo que o sol deixa de incidir na minha secretária.
Não foi ciência astronómica antiga, foi acaso da patobravice e da minha exigência baixa, já se vê.


por MCV às 04:46
endereço

7 comentários:
De Anónimo a 24 de Setembro de 2004 às 16:38
:)...
</a>
(mailto:....@....)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2004 às 22:11
Obrigado pelas palavras. Mas temo que não seja exigência, seja antes rabugice antiga.
Quantos aos problemas, ainda não consegui (também não procurei muito o tal decreto - será que é decreto?) perceber se o que atormenta tanto tanta gente é um NP ou não. Mas se é, não o tivessem criado. É para isso que servem as lâmpadas.
Sendo um NP, fazer a coisa à mão é naturalmente uma opção avisada!!!! Pode ser que a introdução do erro humano dê o toque necessário para a magia.
Para o caso do janela equinocial, concorrem obviamente múltiplos factores. A uma certa escala, poderemos dizer que o alinhamento deste e de outro prédio, fronteiro, são a razão de um marcador de equinócios se estabelecer entre o vão e a secretária.
O que eu gostava de ver era um inquérito para apurar as razões de tal ocorrência. Falo do relógio, claro.
Julgo saber quem sois.Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2004 às 20:08
Percebi. Uma lâmpada não resolve o problema? E por que é que o arquitecto ou o desenhador ou o construtor fizeram assim? Deve haver uma razão, por mais comezinha, e que também tem o seu direito de existir.

Realmente, como é dito no primeiro comentário, este blogue revela o grande grau de exigência do seu autor: obrigada por partilhá-lo!

(Ah! A vista do "mar", de uma outra entrada, é linda.)...
</a>
(mailto:....@....)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2004 às 01:08
Que não tem, sei eu. É justamente isso que me preocupa, quando olho à volta. E por isso digo que a minha exigência vai baixando.Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2004 às 00:57
O binómio de Newton não tem nada de transcendente, acredite. Nem sequer vale a pena preocupar-se com ele....
</a>
(mailto:....@....)


De Anónimo a 23 de Setembro de 2004 às 00:47
Ah, nada disso, amigo Zé.
Vez em quando, vêm estas marés de pessimismo.
Um abraço
Manuel
</a>
(mailto:gasolim@hotmail.com)


De Anónimo a 22 de Setembro de 2004 às 23:06
Diria amigo Manuel que o teu grau de exigência é enorme.
Presumo que passe muita gente por aqui e se sinta intimidado a comentar.
Um abraço Beirão.LetrasAoAcaso
(http://LetrasAoAcaso.weblog.com.pt)
(mailto:LetrasAoAcaso@hotmail.com)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Olho de Boi, 2...

Lisboa, 2012

Mourão, 2013

A cadela que pariu qua...

Lisboa, 2010

Sines, 2011

Estação C.F. de Queluz...

Lisboa, 2008

Sem (saber) le...

Porto Brandão, 2009

. Arquivos
. Links