Terça-feira, 21 de Setembro de 2004
Azedo
Para combater a azia dos últimos dias e poupar os meus leitores, socorro-me de LP, que assim dizia há vinte e cinco anos:

Botões de rosa pálida ou porque plantei uma figueira

Só a posição pouco equilibrada da nova estética de Sebâncio, o Forte, pode explicar a deformação congénita dos grãos de café que eu não exporto, todavia a já assinalada presença de sumérios e hititas nos Balcãs é testemunho indelével da notória compreensão entre solteiros e casados, no último jogo dominical.
Sabido é, portanto, que a não ingerência do mordomo nos assuntos de cozinha é prova suficiente duma polidez de costumes não natural em pessoas de frequência modulada que, no entanto, não se dobram às investidas pouco selectas dum Pablo Romero, em dia de matrimónio.
A manhã mais deliciosa que pode acontecer a um filiado do "Free Camping" é aquela que obriga as margaridas a desflorarem prematuramente, se não nos esquecermos que, aliado a este facto, há que considerar a hipertrofia do androceu e o esvaziamento parcial duma 100 Pipers em casa de seus pais.
Deste terreno não sai centeio - afirma peremptoriamente o deão dos regentes saídos da Paiã, a propósito dos cinco hectares cedidos ao merceeiro num recanto de Hyde Park - no entanto, é possível criar aqui botas de cano alto que possam contribuir para um relançamento das opções militaristas no intervalo para o café.
Há quem não use chapéu quando contrai dívidas pouco onerosas, o que não impede que as forças de Van der Waals sejam, à parte gralhas de impressão, menos significativas em palácios de cristal do que em becos sem saída, onde os toques nas montadas são de somenos importância e não garantem apoteose final.
Ocorreu-me há dois dias que a sogra desmamada do novilho empertigado deve ser suficiente para saciar a gula dos quinze confrades reunidos em torno da bandeira do maior copo, enquanto se fazem campanhas televisivas que visam prevenir os acidentes rodoviários causados pela euforia licorosa.
Não sabia que tinhas dado agora em bajulador de adolescentes.


LP, "Palavras de Dom Goda", 1979


por MCV às 20:37
endereço

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

A transitar, em 2016

Memória telúrica

Portugal, 2013...

Vila Nova de Milfontes...

E.N. 268, 1988

Lisboa, 2007

Tudo a zeros

E.N. 3-13, 2013

Sintra, 2012

E.N. 10, 2007

. Arquivos
. Links