Sexta-feira, 10 de Setembro de 2004
Um imenso .jpg


Fazendo fé nas palavras azuis do mago profeta, chegará o dia em que os aromas acompanharão os sons e as imagens nas suas peripécias viajantes.
Se esse dia fosse o de hoje, haveria decerto uns ficheiros com extensão .pfm (os americanos iam lá deixar de usar o galicismo...) que se poderiam combinar com sons, texto e imagem, de forma a melhorar o conteúdo da informação aqui exposta.
Não o sendo, resta-nos a combinação de imagem e texto, já que quanto aos sons é outra história e fica para o fim.
A batalha entre imagens e palavras ia em <1/1000 da última vez que ouvi falar nela. Não deve esta proporção ser actualmente majorante, a julgar pelo tamanho dos ficheiros de texto e de imagem que aqui tenho. Mas adiante.
Supondo que haveria que escolher entre texto e imagem para traçar a minha autobiografia, o que é que faria? Um texto longo e entediante ou uma imagem que tudo resumisse? Que a sequência de imagens também não me agrada.
Decido-me então por um imenso .jpg.

Voltando aos sons, meti-me em boa.
Sendo uma reconhecida e notória nulidade no que à música toca, não é que me deu para reconstruir a banda sonora do meu filme (do meu .jpg)? Só a parte musical, claro. Os outros sons do mundo ficaram de fora.
A coisa não está fácil.
Descobrir a que canção e a que artista corresponde um certo som é uma tarefa hoje para mim possível graças a São Google. Um extracto da letra e a coisa acha-se. Mas em outros tempos, seria condenada ao fracasso. Trauteasse eu qualquer coisinha a ouvidos de entendedor e decerto assistiria a uma fuga desesperada. Nada menos do que isso.
Mas assim, já vai em mais de um 1GB e segue por bom caminho como o Grandella.
Ninguém me manda ser parvo.
É mesmo melhor dedicar-me à parte gráfica.


por MCV às 08:11
endereço

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

Vila Nova de Milfontes...

E.N. 268, 1988

Lisboa, 2007

Tudo a zeros

E.N. 3-13, 2013

Sintra, 2012

E.N. 10, 2007

E.N. 250, viaduto da A...

Rio Ardila, 2013

Lisboa, 2017

. Arquivos
. Links