Terça-feira, 6 de Julho de 2004
A questão dos 14
A sério que achas isso?
Acho. Os 14 são 14, fazem tudo para ser 14, conseguem ser 14, gostam de ser 14, querem ser 14.
Mas os 18?
Os 18, não. Às vezes são 20 mas gostavam de ser 4. Vez por outra são 10. Fogem de ser 18.
Dizes então que mais vale um 14 do que um 18...
Os 14 são certinhos. Bons profissionais, sem grandes rasgos mas esforçam-se. Gente em quem se pode confiar. Os 14 que conheci estão todos a funcionar. Todos sem excepção. Já os 18...
Passaram-se?
Uns passaram-se para o outro lado do mar. Outros para mais perto, mas foram-se. Outros passaram-se mesmo. Não ouves falar deles.
Não há nenhum 18 que me possas apontar?
Há. Claro que há. Não conheci assim tantos. Mas alguns, poucos, andam por aí. Parece que adoptaram a teoria do 14. Aderiram ao 14. Não sei se gostam de o ser ou se são bem pagos para isso. Sabes, essa é a única coisa em que o 18 bate o 14. O 18 pode passar a 14, mas a inversa não é verdadeira.


por MCV às 04:25
endereço

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

E.N. 263, 2011

Póvoa de Varzim, ...

Portugal, 2008

Um caso clássi...

Memorandum

Portugal, 2006

Vila Franca de Xira, 2...

Portagem, 2011

Foz Tua, 2016

Portugal, 2017

. Arquivos
. Links