Segunda-feira, 28 de Junho de 2004
Coerência
É nestas alturas que claramente se demonstra que a coerência é um conceito com costas demasiado largas para ter algum valor argumentativo.
Conheço a coerência em sistemas engendrados pelo homem, mas só nos abstractos. E mesmo nesses há brechas por onde ela foge.
Não sei que tipo de coerência se pode exigir ao homem. Talvez a que é própria da sobrevivência e mesmo essa...
Não espanta assim que quem mais clama contra a incoerência alheia seja depois quem mais se contradiz.
E não é a questão do burro, o tal de quem dizem não muda de opinião. Não. É o dizerem-se, a intervalos relativamente curtos, coisas que são contraditórias. Quando não, na mesma frase.
Sempre tive pouca paciência para defensores acérrimos. E sim, também sou incoerente.


por MCV às 17:25
endereço

1 comentário:
De Anónimo a 28 de Junho de 2004 às 22:55
Falta de lógica, de seguimento nas ideias.
É o que diz o meu dicionário (entre outras coisas) sobre a incoerência. Demasiado coerente, este meu dicionário, não te parece? Os incoerentes, sabem tudo o que sabem os coerentes, mas sabem ainda mais uma coisa: sabem que nada sabem. Que tudo varia conforme a circunstância, a motivação, o estado de espírito e um sem número de condicionantes com que pretendemos orientar o nosso discurso (muitas vezes sem sucesso). Portanto, os incoerentes sabem mais que os coerentes. Parabéns por seres incoerente.
E não… … não estou certa do que acabei de escrever. Provavelmente, é mais um dos meus disparates.
aq
(http://www.dizertudocomoosmalucos.blogspot.com)
(mailto:aaqq@iol.pt)


Comentar post

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

A transitar, em 2016

Memória telúrica

Portugal, 2013...

Vila Nova de Milfontes...

E.N. 268, 1988

Lisboa, 2007

Tudo a zeros

E.N. 3-13, 2013

Sintra, 2012

E.N. 10, 2007

. Arquivos
. Links