Quarta-feira, 23 de Junho de 2004
Discriminação
Nos tempos que correm, esta é a palavra proibida.
Mas, na vida real, a discriminação na forma de escolha, é o pão nosso de cada dia.
Repisando a frase que nos cataloga a todos como humanos mas diferentes uns dos outros, se somos diversos é natural que sejamos uns e outros mais capazes para certas tarefas.
Acho que sei para que tipo de tarefas não presto. Julgo saber quais posso executar com maior facilidade e eficácia. Neste juízo, estarei enganado em algumas coisas. E haverá até aquelas tarefas sobre as quais nada saberei, o que me impede de ter uma ideia do meu eventual desempenho.
Parece-me utópico que cada um tenha incumbências apenas em áreas onde desempenha bem. Mas parece-me razoável que se façam escolhas dos supostamente mais capazes.
Se o são ou não, isso é outra história.
O que me parece mau é partir do princípio que todos, sem excepção, estão à altura desta ou daquela tarefa.
Que não se deve descriminar por isto ou por aquilo.
Também me parece mau que se ataque tanto a estupidez.
Não me parece que a estupidez seja muito diferente dos pés chatos, da altura ou da cor dos olhos. Ninguém fez muito por nascer assim.


por MCV às 23:33
endereço

3 comentários:
De Anónimo a 24 de Junho de 2004 às 14:21
Lá isso é verdade. A conclusão está correcta :)Yardbird
(http://novosvoos.blogspot.com)
(mailto:yardbird25@netcabo.pt)


De Anónimo a 24 de Junho de 2004 às 02:14
Como um "anarquista em desenvolvimento", creio que, realmente, todos não somos capazes das mesmas coisas e que, se existe uma autoriadade a respeitar, é aquela de alguém que faz melhor alguma coisa do que nós.
Para consertar sapatos, confio na autoridade do sapateiro, assim como para ajustar minhas roupas, a autoridade do alfaiate é suprema à minha ou à do cozinheiro...
Estupidez é um termo muito genérico como foi apresentado em seu texto, e pode ser interpretado por mais de uma maneira, então prefiro não opinar para não ser prolixo...Rafael Reinehr
(http://escreverporescrever.blogs.sapo.pt)
(mailto:superjazz7@terra.com.br)


De Anónimo a 24 de Junho de 2004 às 00:36
Quem atacar a estupidez tem a obrigação de apresentar uma fita métrica, um teste do QI e um medidor de audiências.Ana c
(http://pequenashistorias.blogspot.com/)
(mailto:pequenashistorias@aeiou.pt)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Portugal, 2008

Um caso clássi...

Memorandum

Portugal, 2006

Vila Franca de Xira, 2...

Portagem, 2011

Foz Tua, 2016

Portugal, 2017

E.N. 246-1, 2011

Apúlia, 2017

. Arquivos
. Links