Terça-feira, 18 de Maio de 2004
As revistas da minha sogra


O habitual portinhol com las chicas de la tuna.
Pouco antes fora a velha que pedia cocáculas e era aragonesa, não pensem.
Qualquer coisa como tiens la certeza que es esta la boîte?
Não me safo em castelhano.
Ela dizia que sim e ainda lamentava o reloj que tinha perdido algures.
O porteiro é que não estava de modas. Era uma festa privada. Não podia ser nada, mas não me peçam que retroverta a frase.
Qualquer coisa o fez mudar de ideias. Entrámos pois.
Estava farto de ver nas ruas os cartazes da peça em exibição en el Teatro del Mercado. Traduzi as fotos para a cena nacional, deviam ser os nomes que a gente sabe...
Como não sou muito de teatros, não conhecia os figurões.
Mas depois de descer a escada, já estava em casa.
Os cartazes todos ali em carne, osso e fato de noite. Um bocadinho para o sobrelotado, o porteiro lá sabia o que fazia.
Mas era ali a combinação. Lá estava o moço agarrado à sua espanhola, irmã da minha.
Bailámos, pois.
Na confusão das luzes, já foi tarde que o homem acordou:
Caramba, tenho que comprar as !Holas! todas no quiosque em frente à minha sogra!

imagem em


por MCV às 01:16
endereço

1 comentário:
De Anónimo a 18 de Maio de 2004 às 08:58
Temo que não vás a tempo. Já devem ter sido pré-compradas.
à loucura de uma sociedade que se perde inexoravelmente em nadas, enquanto as verdadeiras questões ficam de lado, esquecidas na apatia e porque não dizê-lo, na alienação pura?!

Abraços.LetrasAoAcaso
(http://LetrasAoacaso.weblog.com.pt)
(mailto:manintherisingsun@hotmail.com)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Portugal, 2012

Lisboa, 2017

Sintra, 2016

E.N. 263, 2011

Póvoa de Varzim, ...

Portugal, 2008

Um caso clássi...

Memorandum

Portugal, 2006

Vila Franca de Xira, 2...

. Arquivos
. Links