Segunda-feira, 26 de Abril de 2004
Aónio, cidadão campónio
Não. Não sou o que escrevia memórias no primeiro quartel do séc. XIX. Esse registou a marca.
Mas também não me identifico aqui no blogue. Embora alguns já saibam quem sou.
Às vezes, sinto-me quase obrigado a abrir outro blogue, de forma a expressar alguns pontos de vista mais ácidos. Com a identificação do animal.
Mas como não o faço, também evito enveredar por caminhos incompatíveis com o anonimato.
Mas lá que apetecia, apetecia.
Sabendo ainda assim que todas as opiniões são inúteis.


por MCV às 12:36
endereço

2 comentários:
De Anónimo a 26 de Abril de 2004 às 15:58
o anonimato faz bem, nos protege, nos poupa, mas, algumas vezes, avontade que dá é mesmo de se revelar, se abrir, se mostrar e deixar que o mundo nos julgue, ou não, pelo que somos, ou não...
baccio
///~..~\\\arabella
(http://arabella.bella.blog.uol.com.br/)
(mailto:arabella.bella@uol.com.br)


De Anónimo a 26 de Abril de 2004 às 15:56
não paro de opinar... falar.. não me calo, embora sejam elas inúteis...
beijosavoz
</a>
(mailto:avoz@uol.com.br)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Diz que Dom Fuas salto...

Lisboa, 2009

Rio Tâmega, 2017

E.N. 232, 2000...

Mora, 2017

Portugal, 2017

Portugal, 2017

Barcarena, 201...

Olho de Boi, 2...

Portugal, 2010

. Arquivos
. Links