Segunda-feira, 15 de Março de 2004
Urbanidades
Ser rústico é uma qualidade ou um defeito.
O rústico é autocrata. O urbano democrata.
As opções de côr que o meu avô tomava incidiam praticamente todas sobre as barras da casa.
Conheci-as amarelas, azuis, vermelhas, ocres, verdes, cinzentas. Isso no tempo em que o Alentejo e o Algarve não estavam normalizados, em que havia montes vermelhos, amarelos e barras de todas as cores.
Nunca o vi levar em consideração quaisquer critérios que não a sua vontade ou a da minha avó.
Hoje, Alentejo e Algarve estão normalizados e muito piores.

E por aqui, abriu a campanha eleitoral.
Já há quem tenha iniciado a propaganda.
Que não pode haver entendimento entre os verdes e os vermelhos, é o que me dizem.
Eu olho para o boletim de voto e para as opções e não espero influências de última hora.
Vou votar no verde.
Estamos a escolher a côr da porta do elevador.




por MCV às 01:04
endereço

1 comentário:
De Anónimo a 21 de Março de 2004 às 05:27
Oi, Manuel,
Pena essa normalização; verdes e vermelhos.
Pois, que eu também escolheria o verde para a porta do elevador. E para muitas outras coisas, também. Muito me agrada o verde, embora, por defeito congênito, discromatópico sou, não o defina muito bem.
Abração
Fernando Cals Fernando Cals
(http://www.cadaserra.blogger.com.br)
(mailto:fcals@globo.com)


Comentar post

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Póvoa de Varzim, ...

Portugal, 2008

Um caso clássi...

Memorandum

Portugal, 2006

Vila Franca de Xira, 2...

Portagem, 2011

Foz Tua, 2016

Portugal, 2017

E.N. 246-1, 2011

. Arquivos
. Links