Quinta-feira, 11 de Março de 2004
Hoje como ontem
... quando entrou uma mulher velha que vinha ao avio.
O homem mais perto da porta desafiou-a de chofre: "Ò ti' Ana, diga lá o que é que manda mais!"
Ela não se demorou com a resposta, pegando no ponto: "O que é que manda mais? É a força!"
...


Podia ter sido qualquer de nós, hoje em Madrid, ontem em Nova Iorque, anteontem em Belgrado, em Sarajevo, em Paris, em Bolonha, em Telavive, em Bagdade, em Istambul, em Moscovo, em Beirute, em qualquer lado, vítima de bomba, de míssil, de bala, de energia libertada.
David e Golias repetem-se de forma cada vez mais sangrenta.
Ou a energia que continuamente se acumula e se liberta, matando tudo à volta.
É provável que seja cada vez pior.

Hoje falei de actualidades, mas esta história não tem nada de novo.
O diálogo acima presenciei-o numa taberna da serra alentejana. Lapidar, a meu ver.
Em itálico porque reproduz um post antigo.



por MCV às 17:41
endereço

ANO XIV


EDITORIAL
. Posts recentes

E.N. 125-4, 20...

Vila Nova, 201...

Cascais, 2017

Portugal, toponímia, 2...

Portugal, 2007

Ramal de Cáceres, 2011...

...

E.E.N.N. 263/389, 2007...

Belver, 2014

Lisboa, 2008

. Arquivos
. Links