Quinta-feira, 19 de Maio de 2022
O crepúsculo do Sr. Quitério (II)

O crepúsculo do Sr. Quitério

Já lhe chamaram tanto nome, que eu hoje resolvi chamar-lhe assim. Nada a ver com nenhum Quitério presente, passado ou futuro, juro.
Já lhe deram tanta profissão, que eu hoje resolvi dar-lhe a de empregado bancário. Nada a ver com nenhum empregado bancário passado, presente ou futuro. Não jurei? Pois juro.
Ora bem, vem isto a propósito do Sr. Quitério estar a perder a sua influência.
E porquê?
Ora porque o Sr. Quitério foi, aos olhos de muitos, o dono da opinião mais abalizada cá do burgo.
Muitos limitavam-se a repetir o que ele dizia. Outros espreitavam os artigos que o viam ler nos jornais. Os mais íntimos prendiam-no em cavaqueiras de café nas quais procuravam obter os mais diversos pareceres.
Não sei se alguma vez o Sr. Quitério se deu conta do valor que tinha para os demais. Mas o caso é que já não o vejo tão rodeado de companheiros, a beber a sua bica, já não ouço papaguearem-lhe (papagaiarem-lhe é mais bonito) as ideias, nem vejo espreitarem-lhe o jornal.
A coisa parece-me explicada. Com tantos comentadores de borla, já não é preciso de vez em quando pagar um cafèzinho, basta ligar a rádio ou a televisão. Ainda por cima, os assuntos são mais variados do que seria capaz de abranger o bom Sr. Quitério em dia de inspiração.
Quem está à rasca sou eu que, para distinguir os papagaios, já não me basta ouvir o Sr. Quitério.

(Publicado neste blogue (Blogspot) em 19 de Novembro de 2003)



Encontrei hoje o Sr. Quitério, algo alquebrado, já reformado, mas ainda não aposentado da sua mesa de café.
Do que se passou desde a última vez em que cavaqueámos, só uma pista: o facto de ele me haver perguntado se eu lhe atribuía aquela qualificação que agora dão aos simples que gozam de muitos gostos de outros igualmente simples nas redes sociais. Não me deixou responder. Disse: “Credo! Se me dão tal apodo, deixo de ir ao café!”



por MCV às 18:16
endereço

Quarta-feira, 18 de Maio de 2022
Crentes

A quantidade de crentes que surge entre os ditos especialistas chamados às televisões é notável.
Afirmam que acreditam nisto, que acreditam naquilo ou que devemos acreditar naqueloutro, falam de generalidades e puxam de raciocínios primários, subprodutos da tal crença.



por MCV às 16:53
endereço

Terça-feira, 17 de Maio de 2022
Figueira da Foz, 2013



por MCV às 17:49
endereço

Segunda-feira, 16 de Maio de 2022
Alvenaria, alvenaria!

“Alvenaria, alvenaria!” – era um grito gemido de auxílio que uma mulher algures dava a espaços.
Assim foi durante um bom tempo na madrugada de 13 de Maio.
Nunca se saberá se quereria invocar a Virgem, num Avé-Maria corrompido se seria algo distinto.



por MCV às 17:31
endereço

Quinta-feira, 12 de Maio de 2022
Mais uma descoberta da pólvora

Vi há tempos um cartoon* que explicava a extraordinária novidade da combinação de energia solar e eólica que pode ser usada para secar roupa.
Na altura, achei piada ao dito desenho.
Mais tarde, ao ler isto e aquilo percebi que para algumas pessoas se trata mesmo de uma novidade, bem alinhada com os preceitos energéticos politicamente correctos.

*Não mostro aqui o cartoon embora deixe a ligação porque o autor pede entre 5 e 20 £ para publicação em blogues.



por MCV às 17:31
endereço

Quarta-feira, 11 de Maio de 2022
Setúbal, 2018



por MCV às 20:07
endereço

Terça-feira, 10 de Maio de 2022
Os quilómetros que passaram depressa



por MCV às 00:02
endereço

Domingo, 8 de Maio de 2022
Fora do tempo

Uma cedência das calendas ao tempo dos urbanos.


imagem da página da C.M. de Ourique



por MCV às 20:09
endereço

Estação C.F. de Carregado - Alenquer, 2006



por MCV às 18:10
endereço

Quarta-feira, 4 de Maio de 2022
Lisboa, 2007



por MCV às 17:06
endereço

Domingo, 1 de Maio de 2022
Portugal, 2013



Uma rara imagem.



por MCV às 00:19
endereço

Sábado, 30 de Abril de 2022
Dignidade

A verdade é que não sabemos como era em outros tempos.
Embora haja a ideia de que quando os EUA e a URSS trocavam prisioneiros se tratava principalmente de gente ligada à espionagem.
A crer nas últimas notícias, agora os EUA e a Rússia trocam bêbedos e traficantes.



por MCV às 01:04
endereço

Quinta-feira, 28 de Abril de 2022
Razão (estranhamente estou com o Costa)

Há coisas que são tão do domínio da razão e do objectivo, que é penoso ouvir opinar sobre elas.
Uma delas é a consequência inflacionária do aumento dos salários. 1+1=2.
Para quem duvida da matemática e tem idade para ter vivido os tempos de inflação galopante pós-74, é bom que se lembre de que os salários iam perdendo sucessivamente poder de compra à medida que eram aumentados nominalmente.
A lógica reivindicativa era absolutamente contrária à realidade. Continua a ser hoje.
A senhora dos sindicatos acha absolutamente que não. Que o aumento dos salários não se reflecte na inflação. É matemática alternativa.



por MCV às 20:26
endereço

Guterres e Quieve

Guterres referiu-se a Quieve como uma cidade com grande importância para ucranianos e também para russos. O que eu tomo como uma afirmação acertada.
Já em termos políticos, ditos politicamente correctos, me parece um tiro no porta-aviões.
Nem sempre o que é acertado se deve dizer, quando as circunstâncias assim o ditam.



por MCV às 20:06
endereço

E.N.12, km 0



por MCV às 19:45
endereço

Quarta-feira, 27 de Abril de 2022
Portugal, 2005



por MCV às 02:16
endereço

Segunda-feira, 25 de Abril de 2022
DGS

Voltando à vaca fria e atentando numa série de relatórios de monitorização das linhas vermelhas para a COVID-19 facultados pela DGS na sua página, verifico uma vez mais o nível de indigência intelectual patente na sistematização de tais relatórios.
Nada ali parece depender de rotinas informáticas, uns relatórios estão disponíveis em pdf outros não, sem que a razão percebida seja outra de que a do erro humano, a um nível muito básico.



por MCV às 20:56
endereço

Beja, 2011



por MCV às 05:04
endereço

Domingo, 24 de Abril de 2022
Macron

Reeleito que será o Sr. Macron como Presidente da República Francesa, percebe-se que se enganou infantilmente e em muito quando disse que a força não servia para grande coisa.
Quanto mais se enganará a respeito de outros assuntos?



por MCV às 18:56
endereço

Três anos depois...



por MCV às 17:40
endereço

Sexta-feira, 22 de Abril de 2022
Portugal, 2009



por MCV às 19:10
endereço

Quinta-feira, 21 de Abril de 2022
Cova do Vapor, 2015



por MCV às 23:01
endereço

Terça-feira, 19 de Abril de 2022
Caldas da Rainha, 2007



por MCV às 22:01
endereço

Domingo, 17 de Abril de 2022
Vialonga, 2010



por MCV às 17:02
endereço

O ponto de não-retorno

Que conhecimentos seriam necessários, por exemplo fazendo a comparação com as falíveis previsões meteorológicas de curto prazo, para se ter uma ideia da distância a que está, já ultrapassado ou não, o ponto de não-retormo em direcção a um conflito nuclear global?
Global, do ponto de vista dos alvos, naturalmente.



por MCV às 14:36
endereço

ANO XIX
EDITORIAL
. Posts recentes

O crepúsculo do Sr. Quité...

Crentes

Figueira da Foz, 2013

Alvenaria, alvenaria!

Mais uma descoberta da pó...

Setúbal, 2018

Os quilómetros que passar...

Fora do tempo

Estação C.F. de Carregado...

Lisboa, 2007

. Arquivos
. Links