Sábado, 21 de Abril de 2012
Números
A única questão que as presidenciais francesas parecem suscitar é saber se a soma dos votos dos candidatos ditos de esquerda ultrapassa ou não à primeira volta os 50% dos votos expressos.
Na V República, apenas sucedeu uma vez – em 1981, quando Mitterand foi eleito para o primeiro septanato.
Parece pouco provável. Mais provável é que ultrapasse os 45% de 2002, quando a habitual corte de imbecis bradou que a França virara à direita, quando na realidade os votos à esquerda haviam superado em percentagem (45% contra 41%) os obtidos sete anos antes.
Desse brado resultaram os tradicionais desmandos nas ruas.



Observe-se que a esquerda obteve sempre que logrou passar, uma percentagem maior de votos à segunda volta.


por MCV às 00:23
endereço

ANO XVI


EDITORIAL
. Posts recentes

Lisboa, 11 do ...

Lousada, 2018

Nevoeiros matinais

15

Desafio

António Costa

Melides, 2013

Sintra, 2005

E.N. 379-1, 2018

Gasolim

. Arquivos
. Links