Quarta-feira, 17 de Julho de 2013
O paradigma perdido
Aborrece-me um bocado:
abordar o mesmo conceito reiteradamente;
usar títulos consagrados nos posts.
Não li o livro de Morin.
E o paradigma a que me refiro é feminal.
Ainda por cima, não sei se o perdi, se o ganhei.
Sei apenas que os Citroën 2 cv., o meu incluído (deveria ter escrito faruque?), influenciam essa...?
Conclusão?
Qual conclusão?


por MCV às 22:19
endereço

ANO XIX
EDITORIAL
. Posts recentes

Estação C.F. de Campolide...

O verbo mesclar

Tempos de ai, ai, ai

Restelo

Covid-19 e mortes

Covid-19 e hospitalizaçõe...

Dos 0 aos 5

Santa Bárbara

Queluz, 2008

Excel

. Arquivos
. Links