Sábado, 14 de Maio de 2005
À primeira cavadela
Minhoca.
Nem o rol de mortos mais uma vez descoberto, nem o juvenil gato preto já de sábado, 14, me tiraram o sono.
Muito sono.
Tanto sono que a dormir, pendia de sono. Dentro do sonho, baqueávamos ambos, lado a lado, cabeça com cabeça.
Não. Jamais te tinha visto. Acordei-te e levei-te a casa.


por MCV às 12:24
endereço

ANO XV


EDITORIAL
. Posts recentes

Pontes de Monfalim, 20...

E.N. 365, 2012

São Torcato, 2014

Baleal, 2006

E.N. 266, 2018

Amanhã é Dia d...

24º

Gibalta, 2018

Valejas, 2006

Rio Tejo, 2007

. Arquivos
. Links