Terça-feira, 9 de Março de 2004
As viagens


Modificaram-se muito desde que me recordo de as empreender, no banco de trás.
Já não são uma aventura.
E isto não tem a ver necessariamente com a infância e os seus mitos. Para os adultos também o eram.
Ficaram muitos episódios na minha memória.
Do encontro imprevisto com a praga de gafanhotos (quem se lembra hoje que tivemos uma nos anos 60?), das estradas que se finavam debaixo de água no vale de Santarém, dos incêndios e das tempestades atravessadas, às inúmeras explorações de estradas em perspectiva, atravessamento de barrancos, atasqueiros, paisagens remotas, ficou um mundo de impressões ainda hoje presentes.
As viagens hoje são uma maçada com destino.
Pouca gente atenta aos percursos. O que lhes interessa é chegar depressa. Auto-estradas, áreas de serviço, pouco mais se conhece.
Uma viagem é o seu destino.
Há pouco quem ande por aí sem destino certo, ao sabor de sinais, de marcas na paisagem.

Foto de MSMS


por MCV às 22:05
endereço

1 comentário:
De Anónimo a 10 de Março de 2004 às 15:51
Excelente fotoFV
(http://almariado.blogspot.com)
(mailto:fernando.viegas@clix.pt)


Comentar post

ANO XVI


EDITORIAL
. Posts recentes

L.

Lisboa, 11 do ...

Lousada, 2018

Nevoeiros matinais

15

Desafio

António Costa

Melides, 2013

Sintra, 2005

E.N. 379-1, 2018

. Arquivos
. Links