Domingo, 22 de Fevereiro de 2004
A ignorância dos riscos
Já aqui falei sobre riscos, a sua ignorância e a sua prevenção.
Uma história tão velha como a da sobrevivência.
As novidades quase sempre acarretam novos riscos. Para muita gente desconhecidos.
Foi assim com o cavalo-de-ferro, com a energia eléctrica, com o automóvel.
Com tudo o resto.
Hoje, a evolução rápida no acesso a certas coisas fez com que muita gente lide com coisas que não domina por atavismo. Se é que filho de peixe sabe nadar.
A novidade não são as coisas novas. São as coisas a que nunca se teve acesso.
Das mais simples ou seguras às mais complicadas ou arriscadas.
A ignorância de regras há muito conhecidas de outros, faz com que se corram riscos desnecessários e ridículos.
Vem isto a propósito de correntes para a neve. Podia ser a propósito de outra coisa qualquer, como banhos na praia ou canalizações de gás.



por MCV às 23:31
endereço

ANO XVI


EDITORIAL
. Posts recentes

L.

Lisboa, 11 do ...

Lousada, 2018

Nevoeiros matinais

15

Desafio

António Costa

Melides, 2013

Sintra, 2005

E.N. 379-1, 2018

. Arquivos
. Links