Sexta-feira, 10 de Agosto de 2007
Código de conduta do banhista

Três mil e setecentos anos depois. O código.
Preserve os sons naturais. Evite o ruído.
Pratique desporto apenas nas áreas determinadas para o efeito. Não incomode, nem ponha em perigo a sua vida e a dos outros.
Estes intrigantes parágrafos, pérolas nas mãos de juristas sedentos de interpretações dúplices, quase arremedam aqueloutro que diz:
É vedado o acesso a quem penetrar nas áreas de acesso vedado.

 

 

Dá-se o caso de o ter apanhado na companhia do meu velho J. d’, a quem ofereci um exemplar, relembrando que no nosso tempo uma publicação tal, investida da força da lei, estaria decerto sempre nos nossos bolsos, para o caso de ser necessário ler os direitos, digo os deveres a alguma.
O código de conduta do banhista da Câmara Municipal de Cascais tem no rosto um baldinho e uma pá.



por MCV às 02:01
endereço | comentar

2 comentários:
De Bic Laranja a 10 de Agosto de 2007 às 20:50
Não. Um baldinho e uma pazinha. Cumpts.


De MCV a 10 de Agosto de 2007 às 20:56
Não me pergunte porquê. Mas a verdade é que tem que ser sempre baldinho e pá :)
Abraço


Comentar post

ANO XXI
. Posts recentes

Desde que eles foram à Lu...

Não fazem um

Inteligência

Campanha

Grândola, 2011

Onde chove e onde não cho...

Covas de lobo

Lapas, 2012

Estrada

Praias do Sado, 2013

. Arquivos
. Links